terça-feira, 8 de junho de 2010

Primeira Guerra Mundial


Estreando nova série aqui neste blog: No quadro branco.

Eu comprei um quadro branco, antes que me acusem de racismo, ou me perguntarem porque não usei o quadro verde (sim verde, nunca vi um quadro negro na vida), é porque conforme você escreve com giz, ele solta pó, e meu quarto novo (que de novo num tem nada) não é dos lugares mais ventilados do mundo. E a tinta das canetas podem ficar lá novinha por alguns dias.

Enfim, a sessão quadro branco mostrará coisas diversas. É bem simples, eu desenho ou escrevo algo no quadro, tiro foto, posto e apago. Legal né ?!

E a primeira é sobre a primeira guerra mundial. Fiz um esquema bem simples de como foi a guerra, e alguns dos participantes.



Os sublinhados em vermelho, são os países da Tríplice Entente (França, Império Russo e Grã-Bretanha ou Inglaterra como quiser) ou que ajudaram-na posteriormente. Os sublinhados em azul, são os países da Tríplice Aliança (Império Austro-Húngaro, Alemanha e bem, o outro deveria ser a Itália).

Ajudantes da Entente:

Japão - 1914
Itália - 1915. Membro da Aliança, esta entra na guerra pela entente pois esta lhe ofereceu maiores vantagens caso a guerra fosse vencida.
Romênia - 1916
Grécia, EUA e China - 1917

Ajudantes da Aliança:

Império Otomano - 1914
Bulgária - 1915

As alianças: o chanceler Otto Von Bismarck depois da vitória na guerra franco-prussiana em 1871, tentou isolar a França diplomaticamente, conseguindo o apoio da Itália, Império Austro-Hungaro, Império Russo e mantém boas-relações com a Grã-Bretanha. Depois que ele deixou o posto, a Alemanha sob o comando de Guilherme II, desistiu de apoiar a Russia que mantinha a sua rivalidade com os austro-húngaros. Os Russos foram parar nos braços dos franceses, e assim criaram em 1983 a aliança franco-prussiana. Os franceses também conseguem melhorar suas relações com a Inglaterra, pois a concorrência comercial e o aumento do poderio do exército alemão, desagrada os ingleses. Por fim, os franceses entram em acordo com os italianos nas questões envolvendo o Marrocos e a Tunísia, e os italianos prometem não atacar os franceses em caso de guerra provocada pelos alemães. Nascem assim as tríplices entente e aliança, bipolarizando a Europa.

A picuinha: o Império Austro-Húngaro queria expandir-se para o mar Egeu, mas estava sendo impedido pelos sérvios. O Império Russo, por sua vez queria com sua influência nos balcãs, ter controle sobre o mar Mediterrâneo e depois atingir o oceano Atlântico, e por isso "protegia" os sérvios.

Seguindo o esquema que eu fiz, temos o estopim da guerra que é a morte do arquiduque herdeiro da Austria-Hungria, Franscisco Ferdinando, que é morto em 28 de junho de 1914 em uma visita em Saravejo na Bósnia, por um estudante bósnio ligado ao movimento nacionalista iuguslavo. O imperador Francisco José poderia não ter atacado, pois a morte de Ferdinando não foi uma ordem direta do governo de Belgrado, porém o estado-maior de Viena achou que era chegada a hora de uma ofensiva definitiva contra a Sérvia.

A Russia, para não perder sua influência, decidiu ajudar seus protegidos sérvios. Franceses, ingleses e alemães tentam frear esses ataques, e movimentos internos ocorrem na dúvida de ir ou não para a guerra.

No dia 31 de julho de 1914, a Alemanha ordena que a Russia cesse os ataques e dá um ultimato a França, e como ninguém responde, no dia seguinte declara guerra à Russia. A Alemanha exige da Bélgica a livre passagem de seu exército para atacar a França, que também inicia suas mobilizações. O governo britânico tenta medidas de conciliação entre os países, mas a invasão da Bélgica acaba com as oposições, e o Reino Unido declara guerra a Alemanha.

Pontos de destaque:

. Entente bloqueia portos alemães, impedindo a entrada de alimentos _ isso dificulta a vida deles a partir do final de 1916;
. Ataques submarinos, toda embarcação inimiga ou neutra em águas britânicas é atingida pelos alemães _ um terço das embarcações destruídas em seis meses. O plano daria certo se os EUA não tivessem ajudado os ingleses;
. Em 1916 surgem as "economias de guerra", como ninguém previa que a guerra duraria tanto, os estados tomaram posse de algumas empresas, para produzir o que fosse necessário para a guerra;
. Em 1917 os países, a Alemanha principalmente, começam a sentir os problemas sociais causados pela guerra. Várias manifestações contra a guerra surgem, gerando greves e insurreições dos exércitos, além dos movimentos de paz. A solução encontrada é o fortalecimento do governo, que ignora os princípios democráticos e pune qualquer manifestação contra o governo, igualando os pacifistas a traidores;

Romênia e Russia deixam a guerra no inicio de 1918, esta última por causa da revolução russa. Os russos renunciam a soberania sobre a Finlândia, Polonia e países bálticos e reconhecem a independência da Ucrania. Isso dá uma sobrevida a Alemanha, que ocupa o leste europeu e agora precisa vencer os soldados do oeste. Os alemães lançam uma ofensiva na região da Champanhe, mas na contraofensiva comandada pelo general Foch, vencem os alemães, já com poucos soldados e materiais, e que ainda perdem nos demais fronts.

Os japoneses vencem os russos na Sibéria. A Inglaterra esmaga os turcos na palestina. Os aliados vencem os búlgaros nos balcãs. E a Itália vence os austríacos em Vittorio-Vêneto.

Em 11 de novembro de 1918 os alemães assinam o armistício.

E é o fim da primeira grande guerra.

Saldo: 10 milhões de pessoas mortas, entre civis e soldados. Lembrando, este número possivelmente é maior que isso. (consulte mais de uma fonte para certificar-se desta quantidade)

Espero que tenham gostado do primeiro post do quadro branco !

2 comentários:

Diego disse...

Legal a idéia do quadro (só tem que melhorar a caligrafia, rsrs), a primeira guerra mundial, foi uma guerra horrível (graças ao grande numero de mortes), foi a primeira em escala mundial, porém diferente da 2ª guerra, foi uma guerra travada em grande parte apenas por militares, pois as batalhas ocorriam em campos distantes das cidades, ou seja, a população civil não sofreu muitos danos. A primeira guerra também é conhecida como guerra das trincheiras graças o advento da metralhadoras. Bom aguardo outros temas, como sugestão: As cruzadas.

Pieces of a mind disse...

valew Diego =D

com certeza as cruzadas estarão aqui, mas antes, preciso falar de alguns confrontos mais antigos, como os que foram assistidos de longe por Filipe II, da Macedônia...